Fafá de Belém festeja Carnaval no Casino Lisboa

Mariana Belém reúne no palco pai e mãe

[caption id="attachment_1380" align="alignright" width="251" caption="25 anos de shows nos Casinos de Portugal"][/caption] Quem esteve no Casino de Lisboa, segunda-feira (15), pôde assistir ao belíssimo espetáculo de carnaval realizado pela cantora brasileira Fafá de Belém, que subiu ao palco cantando descalça, contagiando centenas de pessoas presentes, que aplaudiam e gritavam o nome da “sua” Fafá, como se fosse da família. A artista deu iniciou à festa no palco central do Arena Lounge, cantando “Pássaro Sonhador”, de Arlindo Júnior, acompanha de sete músicos, entre eles o pai de Mariana, Raul Mascarenhas, tocando saxofone, e com Mariana Belém fazendo “back-vocals”. O público interagiu com a artista, cantado e dançando cada canção apresentada, formando um grande coral. Entre os sucessos da noite, Fafá cantou “Coração do Agreste”, “Memória” e “Meu Disfarce”, músicas de sua própria autoria. [caption id="attachment_1381" align="alignleft" width="152" caption="Foi em Portugal que Mariana Belém cantou profissionalmente pela primeira vez, ao lado de sua mãe"][/caption] Num ambiente mágico de som e luz, num palco redondo no centro de vários anéis giratórios de mesas, com o baterista e percussionista ocupando um outro palco, e com pessoas lotando não só a platéia e mesas, mas também dois andares de varandas, a emoção tomou conta do público, que foi convidado por Fafá de Belém a fazer segunda voz com Mariana. Além de levar a boa musica, Fafá agradeceu a presença de cada convidado e falou de seu amor pelas terras lusitanas, dizendo que nos seus trinta anos de profissão é sempre um prazer atravessar o oceano rumo a Portugal, que considera sua segunda casa. Depois dos agradecimentos e mais uma canção, Fafá fez um pequeno intervalo e deixou o palco a cargo de Mariana, que mostrou que “filho de peixe, peixinho é”. A filha de Fafá e Mascarenhas mostraram seu talento, levando a plateia ao delírio, interpretando, entre outros, sucessos gravados por Ivete Sangalo. [caption id="attachment_1382" align="alignright" width="115" caption="Mariana Belém: "Portugal prá gente é como se fosse um puxadinho de casa""][/caption] Assim como a mãe, Mariana também falou de sua ligação com o público português, pois boa parte de sua infância e adolescência acompanhou a artista nos bastidores das apresentações de Fafá no Casino do Estoril (o maior casino da Europa e pertencente à mesma gestão do Casino de Lisboa), no qual a artista se apresenta há mais de vinte anos. Fafá retornou ao palco trajando uma fantasia indígena e foi recebida com caloroso abraço da filha, que deu as boas vindas dizendo: “Esta é minha mãe, minha grande estrela”. Um momento ímpar de emoção tomou conta do palco do Arena Loungequando um grupo de fãs brasileiros exibiu a bandeira do Estado do Pará, terra natal da protagonista da noite, que acenou emocionada jogando beijos de agradecimento. [caption id="attachment_1383" align="alignleft" width="290" caption="Fafá de Belém: O público português já a considera "sua""][/caption] Cantou outros sucessos de sua trajetória musical, entre os quais, como não poderia deixar de ser, “Vermelho”, uma toada composta por Chico Silva para o Boi-Bumbá Garantido, cujas cores são o vermelho e o branco, personagem lendária de uma das maiores festas folclóricas do Brasil, que acontece todos os anos em Parintins, no Estado da Amazônia. A composição de Chico da Silva, “Vermelho”, tomou dimensões alargadas quando Fafá a apresentou em terras lusas anos atrás, conquistando milhares de adeptos em Portugal, pois se tornou o hino paralelo do Benfica, o mais popular clube de futebol português. A fechar o espetáculo, Fafá e Mariana cantaram ainda o tema "Jardins Proibidos", sucesso do português Paulo Gonzo, duo que será incluído no primeiro CD de Mariana Belém, já em fase de gravação. [caption id="attachment_1384" align="alignright" width="202" caption=""Na hora que bota aquele coquar, é uma reverência àquele povo índio da Amazónia, que é o nosso povo""][/caption] Após a apresentação, Mariana e Fafá receberam no camarim convidados e imprensa, e falaram a quadros-cultura.com do prazer de estar mais uma vez em Lisboa: “Tenho um amor e uma gratidão muito grande pelo povo português, porque sempre me tratou muito bem; comecei aos 6 anos brincando aqui nos corredores, e eram sempre os garçons, todo o mundo, a equipe de trás que cuidava de mim” – recorda Mariana. “A primeira vez que eu cantei na minha vida, profissionalmente, foi em 2001, no Casino Estoril; ver todas aquelas pessoas que sempre cuidaram de mim, me abraçando no começo da minha carreira; e aqui não tinha cantado ainda, e aí foi uma emoção muito grande, porque é gente de cima, de baixo… estou muito feliz”, declarou Mariana Belém, que sempre que possível acompanha a mãe nos concertos, mas já possui carreira a solo e se prepara para lançar seu primeiro CD ainda este ano, com lançamento simultaneo previsto para o Brasil e Portugal. [caption id="attachment_1385" align="alignleft" width="133" caption="Mariana: "Daqui eu faço 2 shows em São Paulo e vou para Manaus fazer um musical e depois volto para Belém para acabar de terminar o meu primeiro CD""][/caption] Fafá falou a quadros-cultura.com da emoção de retornar à sua segunda pátria: “Eu estava muito ansiosa por estrear aqui no palco do Casino de Lisboa. São 25 anos de parceria com o Grupo Estoril Sol. Inaugurei o Casino Estoril, reinaugurei na gestão do Stanley Ho e de Assis Ferreira, inaugurámos o Casino da Póvoa, na gestão deles também, e para Lisboa não conseguia coincidir datas. E agora foi em grande! Fiquei muito emocionada. Um público expressivo, cantando, dançando… e é isto que a gente quer”. [caption id="attachment_1386" align="alignright" width="259" caption="Mariana: "Não compreendo quem tenha problema de ser filho de famosos. Eu tenho o maior orgulho na minha mãe""][/caption] A artista acrescentou ainda, falando da emoção que sentiu ao interpretar a última música do espetáculo: “Fazer parte das comemorações do maior time de futebol do mundo, com maior número de sócios inscritos, você, uma cantora brasileira, e uma música que veio do interior da Amazónia, que eu a transformasse num hino do maior clube de associados do mundo… é muita coisa. E a canção ter sido escolhida para ser um hino paralelo, um emblema, mais um dos símbolos do Benfica, é muita honra. Então, muita coisa passou pela minha cabeça quando cantei ‘Vemelho’” – confessou Fafá. “Eu trabalho muito, gosto do que faço; eu entendo que tudo que conquistei na vida foi fruto de muito trabalho, e quando há um reconhecimento fora… o trabalho que a gente faz no quotidiano… é emocionante. Eu me sinto absolutamente íntima deste povo. E muito grata” – disse Fafá de Belém.
(fotos João Teixeira)


culturabrazileuropa@gmail.com

  • Partilhar no Facebook


Video

Publicidade